Informagno | Gestão em TI

O que é um endpoint? Como proteger este tipo de dispositivo

No dia a dia das empresas, há uma variedade de dispositivos que estão conectados à rede corporativa, tanto internos quanto remotos. Eles são conhecidos como endpoints e entre os exemplos destes dispositivos temos servidores, estações de trabalho, smartphones, laptops, tablets, entre outros equipamentos sem fio.

Manter controle e proteger a rede e seus dispositivos conectados a ela é essencial para a segurança dos dados confidenciais d e qualquer empresa. Neste post, vamos te apresentar o que são endpoints e como protegê-los de ataques e ameaças virtuais, além de explicar as tecnologias disponíveis para isso.

O que é Endpoint?

Em tradução para português, endpoint também significa ponto de extremidade. Um endpoint é um dispositivo final conectado à um terminal de rede, podendo ser desde computadores e smartphones até câmeras de vigilância e dispositivos IOT.

Por estar conectado à rede, ele acaba transmitindo informações e devido a isso ele está suscetível a diferentes tipos de ataques virtuais. Portanto, também é importante garantir a segurança destes dispositivos.

Proteção para Endpoints

Quando se trata de proteger um endpoint, algumas práticas são recomendadas, como investimentos em tecnologias e softwares confiáveis e treinamento sobre boas práticas de segurança da informação para os colaboradores da sua empresa.

A segurança para endpoint trata de assegurar que todos os serviços conectados à rede sejam protegidos contra ataques cibernéticos. Para isso, é importante que os softwares que rodam nesses endpoints estejam sempre nas versões mais recentes, assim como seus sistemas operacionais, uma vez que a não atualização pode trazer vulnerabilidades para dentro da organização.

Hoje, já existem tecnologias para tratar das ameaças antes mesmo que elas tenham contato com a sua rede. Através delas é possível gerenciar permissões de instalação e acessos a aplicativos, controlar acesso à rede e a internet, gerenciar a perda de dados (DLP), detectar ameaças e se proteger contra elas. Neste contexto, o monitoramento de todas as conexões, aparelhos e usuários é contínuo.

Na maioria das vezes, a camada de proteção para endpoints é formada por um conjunto de softwares voltados para a segurança, como antivírus, antispyware, antimalware e firewall, sistema de prevenção de intrusos no servidor (HIPS – Host Intrusion Prevention System).

Além de procedimentos padrões que permitem ou negam e também controlam acessos via gateway aos servidores da organização. Esses sistemas monitoram e gerenciam acessos aos servidores principais e auxiliares.

Software de Proteção Endpoint

Aqui na Interop utilizamos o Falcon Prevent, desenvolvido pela CrowdStrike para proteção dos endpoints de nossos clientes. A plataforma é um EDR reconhecido mundialmente e líder do quadrante gartner.

Além de chamar a atenção por ser simples e de fácil implementação, protege empresas contra malwares, vírus e ataques direcionados aos dispositivos conectados à rede, identificando sistemas e aplicativos não autorizados em tempo real, exibindo informações sobre ameaças que atacam os endpoints.

O que é endpoint - Crowdstrike Falcon Prevent

 
Por meio de uma funcionalidade avançada, denominada behavior analysis, a solução aprende o comportamento padrão do usuário, detectando atividades suspeitas com maior facilidade. Isso trás um papel mais estratégico para a política de segurança do negócio, pois, ao bloquear um número maior de ameaças automaticamente, torna o ambiente digital mais confiável

O Falcon Prevent possui uma linha do tempo que apresenta todos os passos percorridos por um evento de ataque, trazendo detalhes e contextualizando de maneira simples o que está acontecendo no endpoint para que as medidas necessárias sejam tomadas. Esta interface é apresentada de maneira visual e amigável, numa interface de árvore, exibindo todo o caminho percorrido pelo malware até chegar no endpoint.