Informagno | Gestão em TI

Doce ou travessura? Quatro dicas de cibersegurança para não ser assombrado pelos golpes online

Comemorado no dia 31 de outubro, o Halloween tem atraído mais e mais os brasileiros. A diversão, que mistura terror e brincadeira, leva crianças e adolescentes (também adultos) a se fantasiarem e pedirem doces aos vizinhos. Levando em consideração a migração das atividades para o ambiente digital, o alerta para a questão de cibersegurança é acionado. Para se ter uma ideia de como o assunto é sério, segundo o relatório Kaspersky Consumer IT Security Risks Report 2021, apenas 22% dos brasileiros afirmam que sabem como se proteger dos crimes online.

‘Doces ou travessuras!’ É assim que a brincadeira do Dia das Bruxas acontece e podemos aproveitar esta frase popular para ilustrar os riscos que estamos expostos na internet. Os ‘doces’ são tudo que parece gratuito: apps, sites de conteúdo, entretenimento – não importa onde você está, seus dados de navegação serão coletados para oferecer alguma oferta depois. Já as travessuras, são os mais diversos golpes – sejam eles feitos por programas maliciosos (malware) ou pela esperteza dos criminosos (fraudes online)”, afirma Fabiano Tricarico, diretor de vendas de varejo da Kaspersky na América Latina .

O especialista ainda reforça que, assim como aprendemos a olhar para os dois lados da rua antes de atravessar, todos precisam aprender regrinhas básicas para aproveitar a experiência online. Para ajudar os internautas a adotar atitudes de segurança, a empresa sugere quatro dicas:

  • Lembre-se: doces atraem os desatentos para a casa da bruxa (armadilha)

Na fábula de João e Maria, os doces são usados para atrair as crianças e é exatamente isso que as mensagens de “phishing” fazem. Ao abrir o link da mensagem fraudulenta, a vítima é levada para uma armadilha (casa da bruxa), onde pode perder dados pessoais ou sofrer perdas financeiras. Recentemente, criminosos usaram o lançamento do filme da Viúva Negra em seus ataques. Redobre a atenção para não cair nessas ciladas. Tenha uma solução de segurança de qualidade com tecnologias antiphishing baseadas em comportamento.

  • Senhas não são doces que podem ser trocados

Nem sempre ganhamos os doces que mais gostamos, mas é comum trocá-los com os amigos. Infelizmente, este habito é comum entre amigos quando se trata de credenciais e senhas bancárias, seja para compartilhar o serviço de streaming ou quando dividimos a pizza. Porém, senhas e credenciais devem ser pessoais e difíceis de serem adivinhadas. Para facilitar a criação de códigos únicos e armazená-los com segurança, recomenda-se o uso de um gerenciador de senhas.

  • Use a capa da invisibilidade nas suas informações pessoais

No ambiente digital, é imprescindível que seus dados estejam mais seguros possíveis e a criptografia é uma aliada. Ela esconde sua navegação e seus dados de olhos curiosos e protegem sua privacidade. Para contar com esta ferramenta, basta usar uma VPN (redesegura) sempre que acessar uma Wi-Fi pública ou desconhecida.

  • Não deixe uma trilha com migalhas de pães

Compartilhar fotos e mensagens das redes sociais é divertido e faz parte do dia a dia das pessoas. Mas, infelizmente, também existem cibercriminosos que se aproveitam das informações disponíveis para personalizar golpes e fraudes. Para proteger sua privacidade e ter mais segurança, desabilite a geolocalização das fotos nas redes sociais, nunca publique dados pessoais (como endereço, nome da escola dos filhos, estabelecimento onde você está agora). Outro hábito importante é monitorar se seus dados estão expostos na internet. Ferramentas como o Privacy Check da Kaspersky avisa os internautas quando há vazamentos de dados associadas a uma conta de e-mail cadastrada.

Fonte: Kaspersky