Cinco passos para evitar o burnout da equipe de segurança de TI

Entre a monotonia da busca meticulosa por anomalias e a enorme responsabilidade de garantir a segurança de uma empresa, os funcionários do centro de operações de segurança (SOC, sigla em inglês) sofrem estresse constante.  Minha ideia é que compartilhar minha experiência como chefe de um SOC que fornece serviço de MDR, ou seja de gerenciamento de detecção e resposta possa ajudar a compreender SOCs em geral, então gostaria de compartilhar meus  cinco passos para minimizar o estresse e prevenir o burnout em equipes de SOC.

Passo um: complete a equipe

Organizar sua equipe é fundamental.  Você precisa de pessoas suficientes para continuar com o trabalho, mas não tantas que acabem entediadas.  Você está procurando um equilíbrio e descobri-lo não é nenhum mistério.

Para começar, defina o escopo do trabalho de que você precisa e, em seguida, divida as funções que você precisa realizar: quais serviços de segurança você precisa internamente e quais terceirizar.  Use essa divisão para esboçar sua contagem de funcionários alvo, tendo em mente que você precisará de profissionais internos para gerenciar funções terceirizadas;

  • Comece com seis pessoas, que é realmente o mínimo que um SOC precisa para operar. São dois para monitoramento, um para investigação, um para funcionar como arquiteto e engenheiro, um administrador e um gerente de SOC;
  • Pense com antecedência sobre como mitigar o impacto negativo da rotatividade para minimizar os efeitos do aumento da carga de trabalho sobre os membros da equipe.

Passo dois: torne o trabalho gratificante

O trabalho eficaz tende a exigir motivação.  Claro, você precisa fornecer as condições para crescimento e atuação confortável, mas também considere o potencial muito intrusivo dos fatores desmotivadores – então, por exemplo, pense em maneiras de tornar as metas transparentes e as avaliações claras e razoáveis.  As pessoas se esforçam para alcançar novos patamares profissionais e se destacam quando consideram o trabalho gratificante.

  • Incentive os líderes e recompense o esforço, em vez de silenciar os recém-chegados ou punir o fracasso;
  • Garanta boas condições de trabalho, incluindo salários e benefícios adequados, programas sociais, tempo para atividades físicas e relacionamento saudável com a equipe;
  • Esclareça metas, objetivos e métricas pelas quais você e a empresa avaliam o trabalho dos funcionários;
  • Especifique um plano de carreira transparente, certificando-se de que os colegas entendam qual equipe é responsável pelo que e como conseguir promoções ou transferências.

Passo três: alivie o estresse

O trabalho de um analista do SOC é estressante por si só, tornando qualquer redução de pressão particularmente importante.  Você não consegue deixar o trabalho sem surpresas, mas você pode seguir alguns passos simples para ajudar a aliviar a carga dos demais profissionais do time do SOC.

  • Deixe os funcionários administrarem seu próprio tempo. Contanto que ter horários flexíveis não afete o desempenho – que você abordou na etapa dois – não deve causar nenhum problema;
  • Faça feedback com sua equipe. Transparência e confiança são vias de mão dupla;
  • Apoie sua equipe. Os trabalhadores devem se sentir confiantes diante de situações difíceis e esperar ajuda da gerência ou de especialistas dedicados.

Passo quatro: inspire seus companheiros de equipe

Trabalhar em um SOC significa fazer parte de uma equipe.  Dedique algum tempo à análise da equipe, buscando a sinergia ideal entre funcionários, entendendo quais tarefas cada um deles desempenha melhor e reforçando o espírito de equipe.

  • Dê aos funcionários tarefas variadas e não padronizadas de vez em quando. Isso serve ao duplo propósito de mantê-los interessados ​​e ajudá-lo a aprender os pontos fortes e as habilidades de cada membro da equipe;
  • Dê a cada membro da equipe uma esfera de responsabilidade para que saibam que suas contribuições são importantes e valiosas;
  • Ofereça oportunidades de desenvolvimento profissional, incluindo networking e participação em cursos, treinamentos e webinars;
  • Conduza atividades colaborativas de construção de equipes. Como gerente, você pode descobrir que a estrutura diferente de colaboração fora de um ambiente de trabalho revela qualidades que contribuem para a produtividade da equipe.

Passo cinco: minimize a rotina

O excesso de confiança na rotina é um dos principais pontos que acarretam o burnout. Agora, como eu disse no início, a monotonia faz parte do trabalho e você não pode se livrar da maioria dos processos rotineiros. Dito isso, você pode pelo menos minimizar os danos com um pouco de terceirização inteligente e automação de tarefas.

  • Envolva especialistas externos em atividades ou tarefas de rotina onde for sensato e produtivo;
  • Implemente ferramentas e serviços para facilitar práticas comuns de segurança de TI;
  • Pesquise continuamente novas áreas e automatize tudo o que puder.

A realocação de recursos e tarefas nunca é fácil ou automática. Embora aliviar o trabalho pareça atraente, primeiro considere a importância de manter os funcionários interessados ​​e motivados. Algumas funções podem precisar continuar na mão do seu time por motivos legais ou outros e, para aquelas que podem ser externas, você precisará garantir que os contratos esclareçam a suscetibilidade e as consequências, não apenas a responsabilidade. E antes de automatizar certas tarefas, analise os processos de trabalho relevantes, considere o feedback do usuário e identifique quaisquer problemas na equipe para desenvolver um plano realista e apropriado.